Você é contra ou a favor da regularização do direito de propriedade para os favelados? Eu sou a favor.

Tenho feito o seguinte questionamento aos que se dizem defensores das favelas e favelados cariocas: Sendo direto: os senhores são favoráveis a regularização do direito de propriedade para os favelados? Em outras palavras, os senhores apoiam a decisão de se conceder o título de proprietário aos atuais moradores das favelas cariocas?
Claro, tenho que me posicionar e justificar também se estou ou não de acordo com a proposta acima. Minha posição: SOU FAVORÁEL A IMEDIATA REGULARIZAÇÃO DO DIREITO DE PROPRIEDADE DAS FAVELAS CARIOCAS AOS ATUAIS MORADORES.

A minha justificativa segue invariavelmente a mesma linha que dei a um opositor sutil que fica encima do muro e, segundo ele, irá em breve se posicionar mais claramente me mostrando o que não consegui enxergar. Vou repetir o debate, por comodidade:

Anônimo disse...

Meu caro "chutando a lata", pela forma como repete tal indagação; acredito que necessite simplesmente de um "sim somos a favor" ou "não somos contra", ou seja, de uma verdade absoluta. Todavia, essa questão é muito mais complexa do que isso, em alguns casos os favelados serão regularizados, e em outros casos não; como por exemplo em áreas de risco, encostas, margens de rio, onde ainda existe a necessidade de realizar remoções. Contudo, sua pergunta já está respondida dentro do quarto trecho criticado em - 14 de dezembro de 2010 15:35 - que segue abaixo:

“ Precisamos aprimorar e expandir a regularização da propriedade e a urbanização de nossos assentamentos populares, favelas e loteamentos. Precisamos prover de saneamento todas as nossas cidades. Enfim, não são pequenas as tarefas que esta geração tem para alcançarmos a democratização da vida urbana.”

A interpretação depende de ti!

Um abraço,

Eduardo Baptista Xavier

dezembro de 2010 21:51

Chutando a Lata disse...

Respondendo ao Xavier. Insiti no questionamento, porque blábláblá não leva a nada. Você se posicionou contra ou a favor de que? Literalmente nada. Não há o que se interpretar, pois creio que você não está fazendo poesia e sim política (tanto quanto eu e imagino a turma deste blog). Mesmo sabendo que discussão não é o que queres, vou deixar minha justificativa. Definição de direito de propriedade dá o incentivo correto para a reordenação urbana ou rural. Quando você é o dono do seu quintal, você cuida. Simples, não? Claro, que o objetivo final é o término da arbitrariedade e do estancamento ao descumprimento escancarado das leis que é a fonte primeira da bagunça urbana. Defendo o direito de propriedade aos favelados, porque simplesmente não há como expulsar os invasores e menos ainda o faria para garantir especulação imobiliária reles. Então assumo minha omissão e quero repará-la procurando uma solução definitiva para o problema. Com a definição do direito de propriedade aos atuais moradores resolveria o problema e melhoria o meu e o seu bem estar. Melhor ainda. Os favelados teriam um substancial acréscimo em sua riqueza pessoal. Com o tempo e creio muito rapidamente os terrenos se valorizariam e toda a cidade ganharia com isso. Claro, tem que haver um projeto de urbanização para que as mudanças que certamente poderiam ocorrer encontrem os parâmetros adequados de urbanização e edificação. Creio que até existem projetos dessa natureza aos montes. O sucesso dessa proposta só poderia ocorrer se depois de feita a regularização do direito de propriedade o governo atuasse firmemente no combate às invasões. Invadiu, o governo derruba e pune. A essência da proposta é que ela não envolve gastos do governo, exceto se, por vontade política, queira implantar projetos de natureza pública, como escolas, hospitais, etc. Uma das coisas boas dessa proposta é que o parâmetro para a indenização seria fácil de estabelecer. Claro, detalhes outros deverão existir. Mas o essencial não precisa de retoques. Direito de propriedade para o atual morador da favela. Nesta proposta, clara e direta, não há espaço para os oportunistas. Obviamente, é seu direito não gostar da proposta.

Fazendo justiça ao Xavier, ele depois me retrucou o seguinte:

Anônimo disse...

Meu caro "chutando a lata", me posicionei a favor da verdade,da ética e dos bons princípios. Tentei lhe mostrar uma coisa tão óbvia que a "turma do blog" se negou a fazer. Seus comentários são pertinentes, mas ainda existem alguns pontos que você não consegue enxergar. Estou refletindo sobre todas as questões apontadas e em breve prepararei um post com carinho explicando meu ponto de vista; até lá espero que tenha um feliz natal e um próspero ano novo,

Um abraço

Eduardo Baptista Xavier

A discussão por enquanto está assim:

23 de dezembro de 2010 21:17

Chutando a Lata disse...

Prezado Xavier, espero sinceramente que possamos crescer num debate saudável e deixar as pequenas rusgas pra lá. O importante é ter uma mesma paixão: um brasil legal pra se viver.
Em dobro pra ti o que desejares pra mim.

Assim, gostaria de contar com a participação de vocês no debate.



Comentários

Postagens mais visitadas