O Supremo Tribunal Federal e a Constituição mutilada

Temos , hoje, um dos acontecimentos jurídicos mais surpreendente dos últimos tempos. Trata-se da decisão do Juiz Goiano de anular casamento gay. A mídia que já não sabemos se é tonta ou se faz de apregoa preconceito do Juiz, quando, na verdade, é a mídia que o tacha de evangélico, em preconceito nítido. Para deixar a turba comendo grama, na paz celestial, diz , ainda, o Exmo Juiz, que suas ações são guiadas por Deus.

Mas qual é a verdade dos fatos? Simples. Basta ler a Constituição:

Capítulo VII - Da Familia, Da Criança, do Adolescente e do Idoso.



Art. 226 A Família, base da sociedade, tem especial proteção do Estado. 



§ 3º Para efeito da proteção do Estado, é reconhecida a união estável entre o homem e a mulher como entidade familiar,devendo a lei facilitar sua conversão em casamento.

Fica claro que o Supremo Tribunal, em sua decisão unânime sobre casamento Gay, desrespeitou a Constituição e claramente não quer aceitar o seu erro crasso. Casamento, para ter a proteção do Estado, se dá entre pessoas de sexos diferentes. Tem que ter um homem e uma mulher.

Será que o único analfabeto jurídico é o Juiz goiano? Será que a Constituição existe pra ser desrespeitada até por quem tem a obrigação de preservá-la? A sociedade está aguardando com curiosidade a publicação do acórdão do STF. Será que vão registrar o caos jurídico?

Creio eu que é o modelo Casa Grande & Senzala funcionando no automático: em terra de cego quem tem olho enxerga o que quer. Assim, vejo que o acórdão registrará a bagunça institucional.

Para terminar, fiquem todos com a paz de Deus que é isso que nos deseja figura jurídica ilustre do Centro-Oeste. Que Deus o illumine! 



Comentários

  1. Excelente professor!
    Textualmente simples e direto ao ponto, sem rodeios.

    O STF parece que está brincando com a cara da população. O Ministro Cezar Peluso encheu a pauta com temas polêmicos, sem debate com a sociedade, e faz da corte suprema o que o nosso congresso deve a sociedade, trabalho de fato.

    É jurisdição da legislação. O país que não mudará a cabeça de senzala tão cedo, professor!

    Abraço!
    Sérgio Ricardo

    ResponderExcluir
  2. A pergunta óbvia: por que os gays querem se casar se a união estável entre homens e mulheres - independentemente do "papel" - é reconhecida por lei? Por que é que os gays não pleitearam apenas o reconhecimento de sua esdrúxula "união estável"?

    A resposta é simples: eles querem disputar o "poder"!

    E os políticos que endossam essa coisa ridícula do casamento gay querem votos. Simples assim!

    A senzalalada quer voar mais alto do que nunca! Voar acima da Constituição, acima da norma e do normal.

    É o fim da picada!

    ResponderExcluir
  3. Nobre Amigo, grato pela visita. Estamos à disposição. Abrçs. O INDIGNADO.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas