Se discutir com burro, não sendo um, sempre perderá.


 ”A maior parte da humanidade pode ser dividida em duas classes: a dos pensadores  superficiais, que ficam aquém da verdade, e a dos pensadores abstrusos, que vão além dela. Esta última classe é muita mais rara e, posso acrescentar, muito mais útil  e valiosa. Pelo menos estes fazem sugestões e apontam dificuldades, as quais talvez lhes falte talento para resolver, mas que podem propiciar belas descobertas, quando tratadas por homens que tenham modo de pensar mais justo....Vale pouco um autor que só nos diz o que podemos aprender em qualquer conversa de café.

Todas as pessoas de pensamento superficial tendem a depreciar as de sólido entendimento como os pensadores abstrusos, os metafísicos e refinados e nunca aceitam como justa qualquer coisa que esteja além de suas próprias fracas concepções.... Quando um homem delibera a respeito de sua conduta em qualquer assunto particular, e elabora planos em política, comércio, economia ou qualquer atividade da vida, nunca deve formular argumentos demasiado sutis nem construir uma cadeia de inferências demasiado longa. Certamente ocorrerá algo que irá perturbar-lhe o raciocínio e produzir um resultado diferente do que esperava. Mas quando raciocinamos sobre assuntos gerais, pode-se afirmar com justeza que nossas especulações raramente serão demasiado sutis , desde que sejam  corretas, e que a diferença entre um homem comum e um gênio é constatada principalmente pela superficialidade ou profundidade dos princípios segundo os quais ambos procedem. Os raciocínios gerais parecem intrincados, simplesmente porque são gerais; não é fácil para a maior parte dos homens distinguir, entre grande número de particularidades, aquela circunstância comum com a qual todos concordam, ou extraí-la, pura e inalterada, das outras circunstâncias supérfluas. Para a maior parte dos homens, cada julgamento ou conclusão é particular. Não podem  ampliar sua visão até aquelas proposições universais.....é indubitável que os princípios gerais, quando justos e seguros, devem sempre prevalecer no curso geral das coisas, embora possam falhar em casos particulares....”

Isso foi dito, na Inglaterra,  lá pelos idos de 1750 e caquerada. 


Comentários

Postagens mais visitadas