O retrato do Brasil : O sonho acabou?

    
Olhando apenas os gráficos (participação dos setores no pib)  abaixo talvez possamos inferir, valendo-nos de todos os outros conjuntos de informações que possamos ter e entendê-los, o movimento dinâmico da economia brasileira. O quadro revela que saímos de uma economia que crescia de forma robusta no pós-guerra até o final do governo Getúlio na democracia. Aí veio uma onda de planejamento e decisões que aceleraram o processo imaginado de desenvolvimento, capotando a economia no início da década de 60. Depois retoma-se o processo de desenvolvimento de forma mais excludente e concisa em seu viés de planejamento. Veio o que chamam de milagre, onde o cego deveria voltar a enxergar. Mas qual o quê: o cego tropeçou e ficou paralisado por quase duas décadas. Nesse reboliço todo inventaram de reinventar a roda e continuamos preso à armadilha do falso milagre, evaporando-se ativos estatais. O resultado é que passamos de uma economia diversificada na agricultura e com uma esperança na indústria para uma economia de barnabés e padeiros ou confeiteiros – os gráficos não confirmam isso diretamente (valho-me de outras informações, coletadas principalmente nas ruas e jornais).  De fato, já na década de 80 tudo tinha sido desfeito e voltamos ao mundo em que nos qualificaram: trabalhar no governo e fazer bolo ou doce ou quem sabe ficar o dia todo dançando ou lutando briga de galo em rinhas diversas. Para muitos que não viram o Brasil de ontem, o sonho nunca existiu. Para mim, o sonho acabou: vou pedir uma pizza que meu vizinho fará e seu filho a entregará pontualmente em minha residência. Quem sabe possa assistir um bom filme americano e ver o sonho dos outros em realidade contrastante.







Comentários

  1. O que destrói o sonho do Brasil desenvolvido é outro sonho: o sonho do parasitismo.

    http://ndvo.blogspot.com.br/2014/08/o-sonho-acabou.html

    ResponderExcluir
  2. Excelente artigo.
    Charles.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas